Pesquisar este blog

Carregando...

Luxação Congênita do Quadril


Essa semana a filhinha da minha melhor amiga passou pela segunda cirurgia e colocação de gesso para correção desse problema. Ela nasceu com Luxação Congênita, um problema que afeta 1 em cada 1.500 nascidos vivos com incidência maior entre meninas, principalmente as que ficaram em posição pélvica na barriga.

Conheça um pouco mais sobre Luxação congênita do quadril

Luxação ou Displasia Congênita do Quadril (LCQ) é a perda do contato da cabeça do fêmur com o acetábulo. Esta luxação ocorre tanto antes, como depois do nascimento, e se não diagnosticada, ou tratada inadequadamente, o paciente terá um defeito físico para o resto da vida.Não se sabe muito a respeito, mas admite-se que três fatores estejam relacionados à sua causa.

1. Genético: a flacidez ligamentar predisponente;
2. Hormonal: devido à liberação do hormônio relaxine pelo útero fetal, em resposta à presença de estrógenos e progesterona na circulação fetal;
3. Mecânico: posicionamento intra-uterino, nascimento de nádegas.

Na luxação persistente o acetábulo é raso e pode ser preenchido por tecido fibroso e adiposo. Como resultado disso, a cabeça do fêmur é deslocada para cima e lateralmente ao acetábulo e, pela pressão exercida no osso ilíaco, pode fazer uma depressão nesse osso formando uma pseudocavidade.
Os ligamentos podem estar estirados, devido ao deslocamento da cabeça femoral.
As alterações musculares ocorrem quando o tratamento inicial não teve sucesso, os músculos psoas, adutor e os da face posterior da coxa sofrem encurtamento.
As mulheres têm uma incidência maior que os homens numa proporção de 8:1 e isto, pode estar associado a fatores hormonais que induziram uma frouxidão ligamentar. É mais comum em raças ocidentais 1/ 1.500 nascidos. Pode ser unilateral ou bilateral, mas geralmente o quadril esquerdo é o mais afetado.Catford e cols. (1982) insistem na importância da triagem dos recém-nascidos e das crianças abaixo de um ano, com objetivo de detectar a displasia da articulação coxo-femoral. O diagnóstico precoce é muito importante para se atingir um bom resultado. As características clínicas não são muito óbvias até que a criança comece a andar, então nesta face deve-se observar a assimetria das pregas glúteas, o encurtamento de um membro e a abdução limitada em flexão. Se a luxação for bilateral pode ser mais difícil o diagnóstico, mas se observarmos o períneo iremos notar que ele é mais largo que o normal e a lordose pode ser notada precocemente.
No recém-nascido, duas manobras podem dar o diagnóstico de LCQ:

* Manobra de Ortolani - consiste em uma sensação tátil, um "click", sentido pelo examinador quando se faz a abdução das coxas a partir de uma flexão de joelho e quadril. Esta sensação significa o encaixe da cabeça do fêmur com o acetábulo.

* Manobra de Barlow - serve para determinar se há instabilidade de quadril, e consiste em provocar ativamente o deslocamento femoral unilateral então, o "click" acontece.

Essas manobras só serão válidas até a criança ter dois meses de vida, pois a partir dos dois meses o quadril se estabiliza na posição anatômica ou a luxação se torna definitiva devido ao encurtamento muscular presente.
O RX só será significativo a partir do sexto mês, onde o esqueleto estará ossificado em boa parte.
Após o início da marcha os sinais motores serão bem evidentes, pois a marcha será retardada e jogada. A bacia ficará alargada devido a lateralização das epífises femorais.
fonte: http://www.wgate.com.br/conteudo/medicinaesaude/fisioterapia/luxacao_quadril.htm

Leia mais em:
http://www.clinicadoquadril.com.br/doencas/lux_congenita.htm

Fique atenta: Mães de meninas que ficaram em posição pélvica (sentada), com liquido aminiótico baixo, mesmo quando o sinal de ortolani der negativo, é altamente recomendado que se faça uma ecografia no segundo mês de vida da criança para garantir o diagnóstico.
Quanto antes iniciar o tratamento, mais rápido será a recuperação.

até breve

19 comentários:

Mayara disse...

Bom fala pra sua amiga que se fizer o tratamento tudo certinho a filha dela vai ficar bem.
Eu tenho 21 anos e nasci com luxação congênita no quadril eu tbm usei o gesso a direta voltou a normal mas a esquerda não, usei aparelhos quando era criança e hj só uso palmilha ortopédica devido o encutamento de uma pra perna outra!As vezes vai sentir dor mas nada de impacto pq a dor é pior! Boa sorte é q ela não precisa passar por cirurgia assim como eu não passei!

alinerscorrea disse...

Minha filha tem 10 meses e vai passar por essa cirurgia de correção,vai engessar,estou muito arrazada se alguem tem experiencia pra contar por favor comente aqui é sempre bom trocarmos experiencia,torçam por minha filha creio que vai dar tudo certo.

Anônimo disse...

MINHA FILHA ESTA COM 4 ANOS E TEM LUXAÇAO, JA FUI EM 4 MEDICOS DIFERENTES MAS AS RESPOSTAS TAMBEM SAO TOTALMENTE DIFERENTES ESTOU INDO A UMA CLINICA EM CURITIBA POR FAVOR SE ALGUEM SABE DE UM BOM PROFISSIONAL ME AVISEM ESTOU SOFRENDO BASTANTE

Anônimo disse...

oi meu filho tem luxaçao e operou no hospital s.p pelo sus la e otimo

Ana Paula disse...

oi..meu nome é Ana Paula e minha filha nasceu com luxação bilateral no quadril,mas descobri quando ela tinha 1 ano,hje ela tem 2 anos e 8 meses e...ela é uma criança muito ativa,corre,faz o q quer,mas medicos me falaram q c ela não fazer a cirurgia ela vai sentir muita dor quando adulta...eu não quis fazer a cirurgia porq pesquisei e vi q não da certo...mas tenho muito medo d piorar,das dores,porisso queria saber d alguem q tem luxação bilateral q ja é adulta,e tamb q fizeram a cirurgia pra mim saber c deu certo....amo demais a minha pequena e me corta o coração d saber q ela pode sentir tanta dor assim

Edmara Morais disse...

Olá! Tenho 40 anos e passei pela cirurgia bilateral com 1 ano e meio.. Comecei a andar com 4 anos... tive vida normal , com muito pouca limitação até os 15 anos, qdo fiz nova cirurgia no lado esquerdo..
Por favor, tenham fé , escolham um especialista de confiança e façam a cirurgia! Pois a 20 anos sofro de dores horríveis, e tbém tenho encurtamento de uma perna, ando mancando, mas, não uso muletas nem bengalas, porém tenho muitas dores , problemas de artroses entre outros problemas que acabam nos atingindo...
Sou muito limitada para andar, porque a dor do lado direito é muito forte..Mesmo assim tive 2 filhos.. uma menina de 20 anos e um menino de 9 anos.
Façam a cirurgia... pois pode livrar essas crianças de muito sofrimento..
Hoje, tenho indicação de protese total nos quadris... tenho muito receio e tenho adiado essa possibilidade.. mas, não sei até quando..
Quem estiver em SP pode procurar o Hospital Anchieta, na rua Pedro de toledo, onde fiz a segunda cirurgia, com o falecido DR. tomei Arakaki...
No Vale do paraíba existe um excelente e renomado especialista: Dr. Nelson Franco..em Taubaté-SP - Vale a pena pesquisar bem!!
Boa sorte e que Deus guie seus caminhos e decisões!
Vale lembrar: - Medo não cura!!

Ariane correa disse...

Ola meu nome é Ariane e tenho uma bebe de 7 meses, ela precisou fazer a cirurgia, pois tinha mal formação congenita no quadril direito, ela esta com gesso esta quase que o corpinho todo engessado e vai ficar 4 meses com esse gesso, tenho muita fé em Deus que apos isso ficara tudo bem com ela, mas preferi fazer agora do que ela sofrer depois e colocar a culpa nos pais

Anônimo disse...

Meu nome é Adriana e minha filha Anna nasceu dia 01/10/12 e ja saimos da maternidade com uma orientação da pediatra para consultarmos ela com um ortopedista, pois ela foi gerada na posição pélvida. O ortopedista não sentiu nenhum "click" mas solicitou uma ultrassonografia bilateral do quadril, a pediatra dela também sentiu o click e sugeriu realizarmos o exame com urgencia, e este exame constatou o click no quadril esquerdo, ou seja, a displasia congenita de quadril, fomos a outro ortopedista e este solicitou o uso da ORTESE DE PAVLIK e realizar um RX. Vamos fazer o RX hoje e já compramos a órtese, dia 30 retornaremos no ortopedista para ele colocar a órtese. Tenho muita fé que muito antes do esperado ela deixe de usar a órtese, pois os médicos disseram que quanto antes descoberto esse problema e o quanto antes iniciado o tratamento, maior a change de sucesso de cura.

da hora disse...

minha filha tem 4 meses ela nasceu com o pe torto e com luxacao congenita do joelho...estou muito preocupada pq o pe torto ja ta corrigido agora to preocupada com o joelho que nao dobra preciso de uma orientacao pois o problema do joelho dela e rara quem poder me ajudar.... Tatiana obrigada.

Anônimo disse...

Oi quando eu tinha 10 meses o pediatra descobriu que eu tinha luxação congênita bilateral no quadril . Nunca operei, mas fiquei quase toda engessada por uns 2 anos, havia um buraco pequeno no gesso para urinar e evacuar apenas.Depois ainda usei vários aparelhos de correção ate a adolescência. Hoje tenho 37 anos, 2 filhos , nenhuma sequela e corpo perfeito. Tenha fe e acredite que por mais difícil o que terá de enfrentar, um dia tudo isso acaba e VC poderá seguir em frente!

Faby Deus cuida de mim disse...

Oi,minha filha tem 8 meses e nasceu com luxação congênita no quadril,que descoberto logo após o nascimento,ela então usou fraldão por três meses e e houve melhora só no quadril direito,e no dia 13 de fevereiro ela ira passar por um procedimento no qual tera que tomar anestesia geral pra fazer um contraste e logo após colocar o gesso,estou preocupada...mais já estive mais!Pois Deus tem me tranquilizado e para honra e glória do Senhor eu creio na cura da minha filha! Hoje ela faz o tratamento no Hospital Sarah Kubitschek de Brasília acredito que não ha Hospital melhor e tudo acabara bem.

gabriela disse...

Olá, minha filha, rafaela, tem 7 meses e meio e também nasceu com a luxação no quadril esquerdo. Desde o início ela começou o tratamento, mas o suspensório não foi o suficiente .Logo ela irá se submeter ao mesmo procedimento da tua filha, Faby. Gostaria de saber como ela esta? como reagiu ao gesso? torço para ela se recuperar também. Rezo para o menino Jesus de Praga e santo expedito eles não falham. Quando tinha 25 anos, portanto há 3 anos atrás, descobri que tinha a luxação congêtina dequadril e tive que colocar a prótese, então se for possível confortar alguém neste momento posso dizer que esses procedimentos evitam justamente algo tão definitivo. vai dar tudocerto, se Deus quiser .

Anônimo disse...

Olá , minha filha Natália, tem 1 ano e 11 mês e também nasceu com luxação nos 2 quadril ,ela vai fazer a cirurgia no santa cruz, mais o medico disse que vai fazer a cirurgia numa perna depois na outra! na primeira perna ela vai usar gesso, e na outra vai usar um ferrinho !não sei como vou fazer porque eu estou de 3 mês e pouco de gestação! me ajudem preciso de uma orientação como lidar com isso!

Anônimo disse...

ola! meu nome e robson minha filha de 1 e5 meses nasceu com luxacao congenita bilateral do quadril. quando nasceu ela ja saiu do hospital com este diagnostico, foi encaminhada para ortopedista fez acopanhamento ate os 6 meses de idade usando fraldao, mas nao teve jeito, vai ter q fazer cirugia e usar gesso no minimo 2 meses. hj foi a cirugia dela 05/06/13 deu tudo certo, o problema agora vai ser usar o gesso.aconselho procurar um bom medico q tudo da certo.

Anônimo disse...

OLA MEU NOME É JULIANA MINHA FILHA BEATRIZ NASCEU COM A LUXAÇÃO BILATERAL DE QUADRIL,hj ela está com 1 ano e 7 meses,ela usou o suspensório de palvik e fraldão,mas nao adiantou,ela tem passado em ortopedistas uns diz que precisa fazer cirurgia urgente outros dizem que nao é melhor esperar ela ficar adulta ,levei-a no HOSPITAL DAS CLINICAS EM BOTUCATU SP UNESP e o medico de lá disse que não é bom fazer a cirurgia nela agora
.estou muito em duvida me ajudem por favor.fazer ou não?

Anônimo disse...

Meu nome é Adriana e minha filha Anna, hoje com quase 11 meses vai ter que ficar engessada por 3 meses. Ela usou o suspensório de Pavlik por 5 meses e corrigiu, apos 3 meses sem o suspensório fizemos um RX e deu td normal, agora fizemos outro e o quadril esquerdo voltou a ter a luxação. Estou agoniada, como cuidar dela, como ela vai reagir, porque ela já esta andando...

Anônimo disse...

Meu nome é Monique. Minha filha se chama Marina. Ela tem 2 anos e 1 mês. Descobri a luxação congênita do quadril esquerdo quando ela estava com 1 ano e 6 meses, pois o pediatra não diagnosticou antes. Isso agravou o caso dela, pois já andava e corria. Caia e mancava muito, além de ficar com uma perna maior que a outra. Em 3 meses e meio, Marina fez 5 cirurgias e ficou engessada (corpo todo). Muita luta e sofrimento. Mas Deus tem nos sustentado.
Agora, iremos para outro especialista, já que o ortopedista está fazendo o encaminhamento. Enfim, espero em breve dar notícias sobre a nossa vitória!

Luana Caroline Künast Polon disse...

https://www.facebook.com/groups/557298061028753/?fref=ts
Estão convidados ao grupo sobre DDQ no Facebook. Abraço.

Anônimo disse...

Ola Ana Paula
tenho luxacao congenita bilateral estou com 24 anos nunca fis cirugia ou tratamento algum. Pq eu nao sabia q tinha isso so fui descubrir com 18 anos. Pq minha mae sempre me falava q nao tinha nada oq eu achava q tinha era coisa da minha cabeca. Hoje tenho uma filha q tive por parto normal foi bm dificil pq piorou muito sinto muita dor ao andar fora que tenho vergonha quando ando pq manco nao gosto.
Como nao sabia q tinha quando descubri fui orrivel e ate hoje sofro por isso.
Entao q posso te falar procure todo tratamento possivel p sua filha pq mas alduta ela pode sofrer. Bjs

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Nota

A maioria ds textos e imagens são retirados da intenet
Em cada post é citado o endereço de onde foi retirado
As imagens são do google

caso alguem seja dono do texto ou imagem e se sinta ofendido, entre em contato comigo que eu colocarei dos devidos créditos a imagem ou ao texto ou retirarei do blog

adrisantos_santos@hotmail.com

obrigada